Converso Bitcoin (BTC) e Euro (EUR): Calculadora Da ...

[x-post /r/cryptoportugal] Fui pago em BitCoins e preciso de converter para Euros. Que opções me recomendam?

Sou noob nisto. Já andei a investigar e, até ao momento, a melhor opção que encontrei (mas não ideal) seria usar o vault xapo.com, que emite um cartão de débito.
Gostaria de ouvir as opiniões em primeira mão de quem já anda nisto há mais tempo, e eventualmente encontrar soluções que melhor se enquadrem a Portugal.
A opção inicial era usar o ATM do Saldanha, em Lisboa, mas fui lá hoje e foi-me dito que a unidade foi vendida.
Agradecido.
submitted by raviolli_ninja to portugal [link] [comments]

[BitCoin noob] Fui pago em BitCoins e preciso de converter para euros. Que opções me recomendam?

Já andei a investigar e, até ao momento, a melhor opção (mas não ideal) seria usar o vault xapo.com, que emite um cartão de débito.
A opção inicial era usar o ATM do Saldanha, mas fui lá hoje e foi-me dito que a unidade foi vendida.
Gostaria de ouvir as opiniões em primeira mão de quem já anda nisto há mais tempo.
Obrigado.
submitted by raviolli_ninja to CryptoPortugal [link] [comments]

Seria possível e viável substituir, em termos econômicos, as moedas por criptomoedas?

Vejam que me refiro aqui unicamente a questões econômicas, partindo do pressuposto que a aceitação/educação e a tecnologia já estão garantidas para tal.
Pois bem, direto vejo algumas pessoas defendendo essa ideia, de as criptomoedas se tornarem as moedas padrão em circulação e efetivamente substituírem (não apenas coexistirem com) as moedas tradicionais.
Mas aí penso na questão da enorme variação na cotação dessas moedas e em como seria na prática você ter hoje Bitcoins suficientes na carteira pra fazer as compras do mês e amanhã acordar pra descobrir que o Bitcoin agora vale metade do que valia ontem porque a galera tá migrando pro Etereum, por exemplo. Ou essa variação louca que temos hoje acontece em razão da oferta e demanda porque as criptomoedas ainda são tratadas basicamente como investimentos, como "algo que você pode converter em 'dinheiro de verdade' (como as ações de uma empresa ou um imóvel)", e não necessariamente como dinheiro por si sós (dinheiro real, dinheiro aceito para adquirir bens e serviços)? E sobre essa questão da oferta e demanda, supondo que as criptomoedas passem a ser usadas efetivamente como dinheiro e substituam as moedas correntes isso continuaria acontecendo? Digo, entendo isso em termos de alguém querer comprar Dólar porque o mercado americano está se fortalecendo, mas a partir do momento em que a moeda é global e não ligada a nada nem ninguém o que leva alguém a querer comprar ou vender essa moeda? Ainda, como você compra a mesma moeda que você usa (por exemplo, você tem 100 Reais, como compra 200 Reais [e não "como você adquire 200 Reais?", o que no caso seria trocando por algum bem que você tem ou serviço que pode oferecer]?)?
Vejo também a questão de termos várias criptomoedas diferentes, como Bitcoin, Etereum, Monero, em breve a Libra (do Facebook, que tem aí umas questões sobre não ser de fato uma criptomoeda), etc., etc., etc. Ok, hoje temos o Real, o Peso, o Euro, o Dólar e centenas de outras moedas, mas essas são moedas oficiais de cada país/região (de modo que se eu for comprar algo no Brasil vou usar o Real e fim de papo) e que têm uma certa estabilidade. Mas e quando as moedas são globais, "livres", sem lastro, de todo mundo e ao mesmo tempo de ninguém? As pessoas terão que ter um pouquinho de cada moeda na carteira, a aceitação acabará sendo ampla (pelo menos pra algumas moedas mais aceitas) ou naturalmente uma criptomoedasmoeda se tornará a moeda padrão e as demais acabarão sendo usadas por determinados nichos ou mesmo serão abandonadas? Ainda nesse ponto, como garantir que amanhã aquela minha moeda continuará existindo? Por exemplo, vai que o Satoshi acorda um dia de mau humor e resolve "apertar o botão" que acaba com o Bitcoin? Ou isso não existe e agora "o Bitcoin é do mundo" e seu criador não tem mais qualquer poder sobre a criação?
Tenho certeza que estou perdendo alguma coisa aqui, estou deixando de considerar algo, até porque meus conhecimentos de economia são menos do que básicos, e é por isso que crio esse tópico - pra ter essas dúvidas sanadas (ou pelo menos ver uma boa discussão em torna delas) e aprender alguma coisa.
Obrigado, e sintam-se livres pra adicionar mais pontos aos meus questionamentos e problemas levantados.
submitted by CaPeBaLo to investimentos [link] [comments]

[Sério] Qual é a vossa posição sobre a Bitcoin?

Gostava de perguntar-vos qual a vossa opinião/posição sobre a Bitcoin, como forma de pagamento.
Pondo de lado a parte do investimento, procuro sabeperceber quais os entraves à adopção em Portugal. Será desconhecimento, desconfiança, má informação? Se possível, gostava que fundamentassem a vossa opinião.
Esta notícia saiu hoje "Bancos fizeram 788 alterações às comissões bancárias no primeiro semestre, com o custo dos cartões de débito a aumentar 16,6%. BdP diz "não dispor poderes para limitar as comissões bancárias". ", os cartões de refeição, servem apenas para os patrões contornarem os impostos e os bancos ganharem mais - além disso, cada vez mais sítios onde os poderíamos usar estão a rejeitá-los, etc...
Numa altura em que já é possível fazer pagamentos de cêntimos, practicamente instantâneos e sem taxas, com a Bitcoin, converter as Bitcoin para Euros de forma fácil (caso o medo seja a volatilidade) e que cada um pode ser responsável pelo seu dinheiro, gostava de perceber o que afugenta as pessoas.
\#bitcoin \#portugal \#aceitaBitcoin \#btc
submitted by tvasconcelos to portugal [link] [comments]

Seria possível e viável substituir, em termos econômicos, as moedas por criptomoedas?

Vejam que me refiro aqui unicamente a questões econômicas, partindo do pressuposto que a aceitação/educação e a tecnologia já estão garantidas para tal.
Pois bem, direto vejo algumas pessoas defendendo essa ideia, de as criptomoedas se tornarem as moedas padrão em circulação e efetivamente substituírem (não apenas coexistirem com) as moedas tradicionais.
Mas aí penso na questão da enorme variação na cotação dessas moedas e em como seria na prática você ter hoje Bitcoins suficientes na carteira pra fazer as compras do mês e amanhã acordar pra descobrir que o Bitcoin agora vale metade do que valia ontem porque a galera tá migrando pro Etereum, por exemplo. Ou essa variação louca que temos hoje acontece em razão da oferta e demanda porque as criptomoedas ainda são tratadas basicamente como investimentos, como "algo que você pode converter em 'dinheiro de verdade' (como as ações de uma empresa ou um imóvel)", e não necessariamente como dinheiro por si sós (dinheiro real, dinheiro aceito para adquirir bens e serviços)? E sobre essa questão da oferta e demanda, supondo que as criptomoedas passem a ser usadas efetivamente como dinheiro e substituam as moedas correntes isso continuaria acontecendo? Digo, entendo isso em termos de alguém querer comprar Dólar porque o mercado americano está se fortalecendo, mas a partir do momento em que a moeda é global e não ligada a nada nem ninguém o que leva alguém a querer comprar ou vender essa moeda? Ainda, como você compra a mesma moeda que você usa (por exemplo, você tem 100 Reais, como compra 200 Reais [e não "como você adquire 200 Reais?", o que no caso seria trocando por algum bem que você tem ou serviço que pode oferecer]?)?
Vejo também a questão de termos várias criptomoedas diferentes, como Bitcoin, Etereum, Monero, em breve a Libra (do Facebook, que tem aí umas questões sobre não ser de fato uma criptomoeda), etc., etc., etc. Ok, hoje temos o Real, o Peso, o Euro, o Dólar e centenas de outras moedas, mas essas são moedas oficiais de cada país/região (de modo que se eu for comprar algo no Brasil vou usar o Real e fim de papo) e que têm uma certa estabilidade. Mas e quando as moedas são globais, "livres", sem lastro, de todo mundo e ao mesmo tempo de ninguém? As pessoas terão que ter um pouquinho de cada moeda na carteira, a aceitação acabará sendo ampla (pelo menos pra algumas moedas mais aceitas) ou naturalmente uma criptomoedasmoeda se tornará a moeda padrão e as demais acabarão sendo usadas por determinados nichos ou mesmo serão abandonadas? Ainda nesse ponto, como garantir que amanhã aquela minha moeda continuará existindo? Por exemplo, vai que o Satoshi acorda um dia de mau humor e resolve "apertar o botão" que acaba com o Bitcoin? Ou isso não existe e agora "o Bitcoin é do mundo" e seu criador não tem mais qualquer poder sobre a criação?
Tenho certeza que estou perdendo alguma coisa aqui, estou deixando de considerar algo, até porque meus conhecimentos de economia são menos do que básicos, e é por isso que crio esse tópico - pra ter essas dúvidas sanadas (ou pelo menos ver uma boa discussão em torna delas) e aprender alguma coisa.
Obrigado, e sintam-se livres pra adicionar mais pontos aos meus questionamentos e problemas levantados.
submitted by CaPeBaLo to BrasilBitcoin [link] [comments]

10 obscure altcoins that merit a closer look by investors, with descriptions and reasoning for each

Disclaimer: I own varying small amounts of the currencies listed below, and as such it’s in my interest to see them gain in popularity. Keeping that in mind, you should examine these with a critical eye and decide for yourself whether they are good investments for you. If you disagree with my rationale for liking a particular currency, please say so and include your reasons. Likewise, if you think there are other obscure currencies I haven’t mentioned that also deserve consideration, please post them here. Please, no tokens in this discussion thread – currencies only.
At some point I got bored with hodling ether, and decided to dig deeper into altcoins in hopes of finding greater returns. My thinking is that if I can find a few promising projects that are on the verge of growth – not necessarily world domination, but just growth – and catch them early enough, I stand a greater chance of finding one that is going to grow 2x, 10x, or more. I figured, what the hell, I’ll put $10 on a bunch of long shots. If one fails then I lose $10, but if it succeeds and the price goes from $0.002 to $0.12 then I will achieve a 60x return on my initial investment.
With that goal in mind, over the past week I took a deep dive into the 800+ currencies that are ranked by market cap at http://coinmarketcap.com/currencies/views/all/ . I ignored the top 25 and kept digging deeper, mostly looking at those ranked 150 and higher. In evaluating each currency I used their market cap rank as a proxy for popularity. My thinking is that the list is not necessarily ordered correctly according to each project’s potential (because market knowledge isn't perfect). There are dead projects in the top 100 and more promising ones in the mid-300’s. I am looking to help reorder the list by investing in coins that are at, for example, rank 287 but deserve to be at 137 based on their fundamentals.
None of the currencies I found are on the verge of becoming the next Ethereum-killer. Again, I’m not looking for coins that will achieve world domination. I’m just looking for ones that deserve to be higher in the rankings than they are, so I can invest in them very early before others start to recognize their potential. They should have at least one fundamental quality that gives them a glimmer of promise for growth.
With all that out of the way, here are some of the obscure currencies I came to like, listed in order of their current market cap ranking (i.e. from least to most obscure):
GULDEN (currently #77)
Site: https://gulden.com/
Profile: https://coinmarketcap.com/currencies/gulden/
Reason: Gulden is a project based in the Netherlands that is focusing on user experience with a great level of attention to detail (including the intial sync time and onboarding experience). They are trying to make their apps very intuitive and easy for the average user. They have a large concentration of users in the Netherlands, dozens of Dutch merchants who already accept the currency, a strategic relationship with payment processor Nocks.co, and a program to airdrop starter currency to all Dutch citizens. They are starting to catch on in neighboring countries, and given their ease of use it’s possible they could end up becoming the WhatsApp of money transfer in Western Europe.
All of those things are promising but not earth-shattering by themselves. Here’s another reason I’m bullish on Gulden: they are one of only a handful of currencies that can be exchanged directly for fiat. One of the reasons that Bitcoin is so big is that it is the main on-ramp to the crypto world for most people. Gulden makes it easy too - you can purchase it from their home page using Euros. If Bitcoin becomes difficult to use around August 1, or if exchanges continue to be slow at verifying new accounts, I can see Gulden catching on among Europeans as a fast, easy way to initially convert fiat to crypto form.
VERTCOIN (currently #109)
Site: http://vertcoin.org/
Profile: https://coinmarketcap.com/currencies/vertcoin/
Reason: Like many currencies, Vertcoin is a direct fork of Bitcoin. The Vertcoin founders wanted to make it ASIC-resistant so it would remain more decentralized. I first discovered it in 2014 and was impressed by it then. Since then, it has been chugging along reliably, and the dev team has added stealth addresses, SegWit, and Lightning network. It’s arguably a better Bitcoin than Bitcoin at this point. I think of it as part of a family that consists of BTC, LTC, and VTC. Vertcoin is the lesser known cousin, but I think it’s about to become much more visible because cross-chain atomic swaps with Litecoin will soon be possible. The code is already done on the Vertcoin side and at this point is just waiting on Litecoin to reach that step in their roadmap. Surely with all these things going for it, Vertcoin will end up in the top 100.
FEATHERCOIN (currently #134)
Site: http://feathercoin.com/
Profile: https://coinmarketcap.com/currencies/feathercoin/
Reason: Another Bitcoin fork that uses a different algorithm. Has a decent infrastructure around it, and an active user base. Seems to have longevity as it’s been around since 2013. I can’t speak to whether the algorithm changes offer any long-term advantages over Bitcoin. All in all it seemed solid enough to drop $10 on. I’ll park it and check back in a few years.
RISE (currently #193)
Site: https://rise.vision/
Profile: https://coinmarketcap.com/currencies/rise/
Reason: Rise was launched in 2016 to much fanfare, with promise of GUI-based Dapp development tools (i.e. drag & drop dapps for end users) and well-documented SDKs for all of the popular programming languages (Ruby, Node, Python, etc.) plus a bunch of other goodies. It didn’t come to fruition. From what I can gather, there are accusations and rumors that someone scammed the project out of ICO funds and disappeared. In recent months, the project has been completely rebooted by some of the original community. It has adopted a new hybrid Ark-Shift blockchain, and is in the process of swapping over to that with the help of the Bittrex exchange. They’re also busy checking in SDKs to Github, and bringing social media back online. Is it going to be the next Ethereum killer? Who knows, but it definitely seems like it’s destined for a higher ranking than #193, and it definitely seems like a steal given the current low market cap and price. Like, the upside potential seems enormous on this if they see things through with the reboot. I’ve not bet the farm on Rise, but I’ve definitely put a couple extra cows on it compared to the other ones in this list.
ARTBYTE (currently #207)
Site: http://www.artbyte.me/
Profile: https://coinmarketcap.com/currencies/applebyte/
Reason: This is yet another currency that is designed for a specific market – in this case, the art world. I generally don’t see a future for sector-specific currencies as they offer no advantages over using a general-purpose currency. What caught my eye about this one is that the team’s social media game is on point. They are tirelessly reaching out to artists to promote the currency and build name recognition. I admire their tenacity and think it could result in them gaining a toehold and eventually pivoting to some specific use within the art world. Total long shot, but I figure it doesn’t hurt to put $10 on it and check back in 10 years to see if it’s still around.
MYRIAD (currently #220)
Site: http://myriadcoin.org
Profile: https://coinmarketcap.com/currencies/myriad/
Reason: Multi-algorithm coin with good visual branding and an active community around it. I am not in love with its fundamentals and don’t see it catching on in a huge way, but just the fact that the project is alive makes it deserving of a higher rank than #220 IMHO. There are far worse coins than this one in the top 200. So, I’m betting here on slight growth rather than world domination.
HUSH (currently #235)
Site: https://myhush.org/
Profile: https://coinmarketcap.com/currencies/hush/
Reason: Hush is a private implementation of the "Zerocash" protocol, and was forked from Zcash in spring 2017 by one of the contributors to that project. It has a decent web site, a small and dedicated team that seems technically competent, plenty of recent Github activity, and a relatively low current market cap. I’m betting that Hush will rise from #235 to somewhere in the mid-100s.
AUDIOCOIN (currently #239)
Site: http://www.audiocoin.eu/
Profile: http://coinmarketcap.com/currencies/audiocoin/
Reason: This team has at least made an attempt at developing a coherent business model. I’m not real convinced at this point that it’s viable, but they seem passionate about it and with some time may be able to refine it. I can see it someday being a backbone marketplace for musicians and listeners, based on audio streaming credits. Given that the price is so low, I’ll buy a tiny bit and check back in 10 years.
SMARTCOIN (currently #355)
Site: http://smartcoin.cc/
Profile: https://coinmarketcap.com/currencies/smartcoin/
Reason: Seems like a solid, functional coin with decent branding, infrastructure, and user base – at least, much moreso than other coins in the mid-350’s. I’m betting that it will eventually rise to the low 200’s.
SLIMCOIN (currently #862)
Site: http://slimco.in/
Profile: https://coinmarketcap.com/currencies/slimcoin/
Reason: Slimcoin is another project that was left for dead but recently revived. It uses a technique called Proof-of-Burn (PoB) and is designed for energy efficiency and use on small devices. This currency is easily more viable than at least 600 of the other defunct joke currencies above it in the list. I placed a bet that this one will rise from rank #862 to somewhere in the 200’s or 300’s.
Again, if you think I’m full of shit on these picks, please post below. If I’m making a bad investment on any of these, I definitely want to know about it. Similarly, if there are any other dark horse coins you think people should know about, list ‘em below and make sure to include reasons – not just the name of the coin.
submitted by FlexNastyBIG to CryptoCurrency [link] [comments]

Investir em bitcoin

Tenho um dinheiro parado e com a maluquice do país to meio assustado que o real vá desvalorizar mais ainda a qualquer momento. No futuro quero poder converter isso para euros.
Pensei em investir em bitcoin. Boa ideia? Má Ideia? Onde e com quem?
Consigo converter isso para moeda estrangeira depois? Fora o risco da desvalorização do bitcoin, quais são os outros riscos?
Alguém ai já se aventurou nisso? Valeu!
submitted by bitweebly to brasil [link] [comments]

The real secret to getting around capital regulation and controls: Take your toys and go home.

It's simple folks.
Money is a ledger to keep track of human effort and resources.
What governments fail to realize is that we don't have to use their money anymore; we have a choice.
So if France doesn't want people converting Euros into bitcoin, fuck 'em. Begin the boycott of the worthless Euro.
If Russia locks down the ability of people to transfer rubles into bitcoin, fuck' em. Nobody wants rubles anyway.
The secret is to take their own fiat completely out of the equation. Begin selling your own goods, services, and products for bitcoin and keep that value stored as bitcoin.
The true value of Earth is the creativity and productivity of its people. That's what money represents.
So the faster we stop selling our productivity for fiat (that is rapidly becoming more useless as governments try to control it with progressively harsher restrictions) the faster they will realize they no longer control the money supply (and people by proxy).
It's their dollars, euros, and rubles. They do have the right to tell you what you can and can't do with them. But you are a free person, and if you want to sell your goods and services for magic Internet money, and I want to accept that same magic Internet money for trade then there's nothing they can do about it.
More and more people every day are accepting bitcoin, and opting out of the ancient and outdated concept that the government has full control over your money and your life.
That was never the intent of money. That was never the intent of government.
Bitcoin is freedom, and we will soon be free.
submitted by americanpegasus to Bitcoin [link] [comments]

Legislação de criptomoedas em Portugal

Bom dia
Eu sou novo no espaço e um tanto ignorante no que toca à legislação de criptomoedas em Portugal e como devem ser declaradas no IRS:
  1. Caso faça transações com elas no dia a dia. Desde comprar um café até vender um imóvel ou veiculo;
  2. ou caso queira converte-las mensalmente em euros vendendo-as em exchanges centralizadas (Coinbase, Bitstamp, etc) ou peer-to-peer através de Localbitcoins, Bisq ou simplesmente fazendo-o pessoa em pessoa sem nenhuma plataforma à nos conectar.
A informação mais recente que eu encontrei no Google procurando por “criptomoedas + portugal + irs” foi este artigo (https://www.dn.pt/dinheiro/interiofinancas-lucros-com-bitcoin-nao-pagam-imposto-9007290.html) e o seus clones dizendo que não há nada à declarar.
Mas neste post (https://bitcointalk.org/index.php?topic=824683.msg10896083#msg10896083) mais antigo no bitcointalk uma usuaria diz que lhe foi dito o seguinte:
"A Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) agradece o seu contacto.Em função do que vem adicionalmente referir, e pese embora a atual legislação fiscal portuguesa não contemplar especificamente esse tipo de atividade, somos de entendimento que tais rendimentos configuram uma distribuição de lucros, na proporção da sua participação (investimento). Nesses termos, estar-se-á perante rendimentos de capitais, conforme previsto no artigo 5.º do código do IRS (CIRS). Como se tratam de rendimentos pagos por uma entidade não residente em Portugal, consideram-se rendimentos obtidos no estrangeiro, que deverão, aquando da entrega da declaração modelo 3 do IRS, ser mencionados no anexo J (quadro 4 - campo 420). Depois, a tributação desses rendimentos, ocorrerá de duas formas:1- Opta pelo não englobamento desses rendimentos (não colocando uma cruz na quadrícula onde é feita essa pergunta no final do anexo J), sendo os mesmos tributados autonomamente à taxa de 28% ou 35%, conforme se enquadrem no n.º 5 ou no n.º 12, respetivamente, do artigo 72.º do CIRS;2- Ou então, caso os seus rendimentos anuais do trabalho por conta de outrém não sejam muito elevados, opta pelo englobamento, e serão tais rendimentos englobados juntamente com restantes, sendo aplicada a taxa de acordo com o artigo 68.º do CIRS.Será uma questão de antes fazer uma simulação do IRS com as duas opções.Com os melhores cumprimentosAT- Autoridade Tributária e Aduaneira"
Alguns de vocês que já têm pago impostos de criptomoedas ou advogados fiscais que trabalhem na área podem me esclarecer qual é o caminho a seguir? Porque eu fui às finanças e não consegui ser esclarecido.
Também poderíamos criar neste sureddit um sticky com informação sobre sociedades ou serviços que possam esclarecer estes assuntos?
submitted by oficciallyalmost to CryptoPortugal [link] [comments]

Em Berlim, a bitcoin substitui facilmente o euro

Graefekiez, Berlim, agosto de 2013. Como todas as terças-feiras, ouvem-se, junto ao canal, os pregões característicos do mercado turco. Os berlinenses que deambulam entre as bancas deixam-se tentar pelos irresistíveis descontos de última hora. Mikaela compra um quilo de peixe – “três euros”, anuncia o pequeno reclamo – e paga em dinheiro, de mão para mão. Sem recibo, nem caixa. A transação não deixa um único traço visível, a não ser o saco cheio de peixes reluzentes que Mikaela leva consigo.
Duzentos metros mais a sul, no mesmo bairro, Brand bebe um latte macchiato, ao balcão do Floor’s Café. Quando chega a altura de pagar, Brand pega no smartphone, fotografa o flashcode que apareceu no ecrã da caixa, carrega no “OK” e vai-se embora. Também ele não deixou rasto do pagamento que fez. Ou quase. Um software transferiu dinheiro da sua conta na Internet para a conta do café e a operação está exposta na “cadeia de cifras em bloco” – o registo que lista as transações por ordem cronológica. O jovem, de 32 anos, não precisou de cartão de crédito nem de conta bancária. Os dados da transação estão a salvo na cadeia, protegidos por processos criptográficos extremamente rigorosos que impedem que qualquer pessoa tenha acesso a eles ou possa alterar o montante, a origem ou o destino.
Moedas baseadas na tecnologia da Internet
Um milagre da bitcoin, a moeda virtual que, aqui em Kreuzberg, Berlim, está a ter grande sucesso. Cerca de 25 estabelecimentos comerciais – sobretudo bares, mas também hotéis, restaurantes, pequenas lojas de eletrónica e papelarias – aceitam esta moeda, inventada em 2009 por um pirata informático anónimo, conhecido sob o nome de Satoshi Nakamoto.
Neste momento, a cotação da cripto-divisa é muito alta: uma bitcoin vale cerca de 78 euros, o que quer dizer que um café custa apenas aproximadamente 0,02 Neste momento, a cotação da cripto-divisa é muito alta: uma bitcoin vale cerca de 78 euros, o que quer dizer que um café custa apenas aproximadamente 0,02. Pelo menos no papel, é possível comprar tudo com bitcoins: casas, automóveis, computadores, roupas. Embora satisfaça todos os critérios que definem uma divisa, conforme reconheceu recentemente o juiz texano Amos Mazzant, a bitcoin escapa por completo ao controlo dos governos e dos bancos centrais, que começam a preocupar-se com a sua expansão, em aumento constante.
Sentado na sua Vespa branca, em frente do Floor’s, Brand explica em poucas palavras como funciona o sistema bitcoin. Segundo ele, é uma opção responsável, como comprar um produto biológico em vez um produto de baixo custo. Com o smartphone na mão direita, entra na aplicação EasyWallet. Depois, basta fotografar o flashcode do bar, inserir o montante necessário, carregar no OK – e o pagamento está feito. “Pago em bitcoins pelo menos duas vezes por dia: o almoço ou o café. Não sei se a bitcoin será a moeda do futuro, mas serão sem dúvida moedas baseadas na tecnologia da Internet que irão impor-se. Talvez venham a existir várias, mas tenho a impressão de que é uma evolução inexorável”, declara.
Um software e um flashcode
A proprietária do Floor’s Café chama-se Florentina Martens. Com 26 anos, esta holandesa, antiga estudante de Belas Artes em Berlim, montou a sua pequena empresa de restauração e defende e aplaude a bitcoin. Para Florentina, tudo começou com a experiência como empregada de um bar das proximidades, que autorizava os pagamentos na moeda alternativa. “Ao princípio, a coisa incomodava-me um bocado, porque não percebia muito bem como funcionava, e, quando alguém queria pagar em bitcoins, não me sentia à vontade.” Mais tarde, quando decidiu abrir o seu próprio café, deixou-se convencer por alguns vizinhos, informou-se e decidiu aceitar pagamentos nesta moeda que, não muito tempo antes, ainda associava a uma tarefa complicada. O cliente só precisa de um software e de um flashcode. Até agora, Florentina ainda não trocou bitcoins por euros. Gasta no bairro, tudo quanto ganha em moeda virtual.
No início, eram raros os clientes que pediam para pagar em bitcoins. Mas, hoje, todos os dias há alguns que as usam para pagar um café, um bolo ou uma sandes. “Não são nerds com óculos e rabo-de-cavalo. E são tantos homens como mulheres, na maioria jovens, pertencentes aos meios alternativos”, explica Florentina. Para ela, tal como para quase todos os outros “bitcoiners” entrevistados pelo Linkiesta, a principal motivação é o repúdio, que foi tomando forma sobretudo durante a crise, pelos bancos privados e pelas políticas monetárias dos bancos centrais em geral. A divisa alternativa “descentralizada” é considerada como uma coisa mais próxima dos consumidores, além de ser conforme com o espírito da época.
Não foi por acaso que esta experiência foi realizada em Graefekiez, um bairro não muito grande, que possui uma alma e uma estrutura económica próprias. A história começou no Room77, “o restaurante nos confins do capitalismo”, que, desde o início de 2012, oferece aos clientes “cerveja quente, mulheres frias e comida de fast-food servida devagar” (como afirma a inscrição por cima da porta).
Uma moeda digital
O proprietário, Joerg Platze, um alemão de origem norte-americana (o seu pai era texano), tornou-se uma espécie de evangelizador da moeda digital: graças a ele, em boa parte dos estabelecimentos comerciais do bairro, vê-se hoje um autocolante com a frase “Aceitamos bitcoins”. “Para mim, trata-se sobretudo de uma questão prática: é muito rápido e mais económico”, garante. Ao contrário, por exemplo, do cartão de crédito, a transação não envolve qualquer despesa. Joerg Platze conseguiu convencer outro tipo de estabelecimentos, como um velho eletricista, vizinho do Room77, que acaba de instalar o software e de afixar na porta o autocolante Bitcoin. Ainda não recebeu clientes adeptos da bitcoin, mas saberá o que fazer, quando estes aparecerem.
O sistema de pagamento Bitcoin ajusta-se à sua conceção de hotelaria alternativa, que se demarca voluntariamente da hotelaria tradicional Saída de uma escola de hotelaria e antiga empregada na área da restauração, Cassandra Wintgens, de 41 anos, é proprietária da casa de hóspedes “Lekkerurlaub”. O sistema de pagamento Bitcoin ajusta-se à sua conceção de hotelaria alternativa, que se demarca voluntariamente da hotelaria tradicional, com quartos a preços baixos, alimentação biológica, Wi-fi e o uso de uma moeda que não passa pelos bancos. “O nosso primeiro hóspede chegou no fim de maio. Disse que tinha lido que se podia pagar em bitcoins, e que tinha sido por isso que decidira alugar um quarto na nossa casa.” O quarto individual custa 0,52 bitcoins, ou seja, 40 euros, e o quarto duplo 0,85, ou seja, 54 euros. As faturas da casa de hóspedes preveem já o pagamento em bitcoins, que só será preciso converter, para a declaração de rendimentos do fim do ano, como explicou o contabilista do estabelecimento.
Perigo de falsificação
Contudo, fora do paraíso de Graefekiez, a realidade é um pouco diferente. A moeda virtual já circula nos mercados financeiros: a ausência de um banco central que controle a sua cotação torna-a extremamente flutuante – uma situação que, por um lado, atrai e, por outro, assusta os investidores aventureiros. A Phylax é uma empresa alemã de consultoria financeira, que oferece aos seus clientes assistência tecnológica e que, nos últimos anos, se especializou no sistema de pagamento Bitcoin. “Começámos a interessar-nos pela bitcoin faz agora dois anos e concluímos que era uma experiência atraente. Seduziu-nos a ideia de uma moeda descentralizada, sem banco central de referência, e em que cada um é parte interessada no processo de criação da nova divisa”, explica o diretor-geral da Phylax, Fridhelm Schmitt. Na altura, a bitcoin equivalia a dois euros e a Phylax pressentiu o seu potencial: a empresa comprou bitcoins a entre oito e dez euros e, mais tarde, vendeu a totalidade por entre 45 e 85 euros cada. Foi a volatilidade da cotação que motivou a venda.
Mas não é uma burla: é uma moeda real Segundo os cálculos da Phylax, atualmente, 45 euros [por uma bitcoin] seria um valor “razoável”. “Não compreendo todas as preocupações que esta experiência suscita. É verdade que, hoje, se pode perder muito dinheiro com a bitcoin [nos mercados financeiros]. Mas não é uma burla: é uma moeda real. Acontece que as pessoas confundem burla com risco, mas este é próprio dos mercados.” Para Fridhelm Schmitt, o perigo principal é, “um dia”, a bitcoin vir a ser falsificada: “Atualmente, estão em curso vários estudos sobre essa possibilidade, mas, hoje, a falsificação é impossível.”
Fonte Presseurop Portugal Texto Laura Lucchini | Valerio Bassan
submitted by allex2501 to BrasilBitcoin [link] [comments]

CONVERSOR DE BITCOIN PARA REAL QUANTO VALE BITCOIN Veja como sacar Electroneum e converter para Bitcoin ... how to convert BTC bitcoin to gbp real money - YouTube Como converter Bitcoin ou qualquer Criptomoeda para ... conversion dollar euro

Satoshi to Bitcoin, USD and other currencies converter ... how many satoshis there are in one US Dollar, how many Euro there are in one bitcoin. The calculator can convert currencies both ways – you can find out how many satoshis or bitcoins you need to buy one unit of a fiat currency, such as USD, EUR, GBP, CNY and others. What is a satoshi? Each bitcoin (1 BTC) can have a fractional part ... Le convertisseur Bitcoin et Euro est à jour avec des taux de change du 24 octobre 2020. Entrez le montant à convertir dans la boîte à gauche de Bitcoin. Cliquez sur "Intervertir les monnaies" pour faire de l'Euro la devise par défaut. Cliquez sur Euros ou Bitcoins pour convertir entre cette monnaie et toutes les autres monnaies. Bitcoin (BTC) Euro (EUR) Autres pays et devises: Le Bitcoin ... Dieser Bitcoin und Euro Umrechner ist auf dem neuesten Stand mit Wechselkursen von 23. Oktober 2020. Geben Sie den Betrag in die Box auf der linken Seite ein, der umgewandelt werden soll Bitcoin. Wählen Sie "Währungen tauschen" um Euro zur Standard-Währung zu machen. Klicken Sie auf Euro oder Bitcoins , um zwischen dieser Währung und allen anderen Währungen umzurechnen. Bitcoin (BTC) Euro ... How to Convert BTC to EUR. 1 Bitcoin = 11061.107706888 Euro 1 Euro = 9.04069E-5 Bitcoin. Example: convert 15 Bitcoin to Euro: 15 Bitcoin = 15 × 11061.107706888 Euro = 165916.61560332 Euro The page provides the exchange rate of 1 Bitcoin (BTC) to Euro (EUR), sale and conversion rate. Moreover, we added the list of the most popular conversions for visualization and the history table with exchange rate diagram for 1 Bitcoin (BTC) to Euro (EUR) from Thursday, 22/10/2020 till Thursday, 15/10/2020.

[index] [30922] [44820] [33653] [23698] [20456] [32516] [37931] [28182] [32459] [16634]

CONVERSOR DE BITCOIN PARA REAL QUANTO VALE BITCOIN

converter bitcoin em dolar preço bitcoin real bitcoin moeda virtual compra e venda de bitcoin dinheiro virtual bitcoin como ganhar dinheiro com bitcoin preco do bitcoin moeda digital bitcoin ... Veja como sacar Electroneum e converter para Bitcoin! Link: http://cryptotchaps.com/link/kucoin KuCoin: http://cryptotchaps.com/link/kucoin ... http://satoshi.otutom.com/ Bitcoin unit converter for all currencies. http://satoshi.otutom.com/Satoshi_to_USD/ Satoshi to USD http://satoshi.otutom.com/Sato... Como converter Bitcoin ou qualquer Criptomoeda para dinheiro Real! Tutorial Trade para Iniciantes • Link Binance: https://cryptotchaps.com/link/binance • LIn... https://www.coinbase.com/join/5991f6aa6529b7022969e7c4 Open a Coinbase account and get $10 in FREE Bitcoin when you deposit your first $100: https://www.coin...

#